mobirise.com

Aproveite as Vantagens do Comércio Eletrônico

Vantagens do Comercio Eletronico

Veja algumas de nossas Lojas Virtuais

Site de Perfumes Curto Mesmo

Catálogo de Móveis Casa Bela

Site de Móveis Sofá Sale

Os motivos que levam essa modalidade de negócio ser tão promissora são muitos

e não há como negar muita gente se beneficia com isto

Para entender o grande crescimento do Comércio Eletrônico em 20 anos no Brasil, vale realçar as diversas mudanças que ocorreram nesse período, o principal fator é o tecnológico. Com ferramentas cada vez mais elaboradas e capazes de aumentar a velocidade e a segurança desse negócio.

Comércio Eletrônico é rápido

Rapidez

Possibilidade de pesquisar em várias locais e fechar a compra em curto espaço de tempo.

Comprar de maneira confortável na internet

Conforto

Adquirir o que deseja com o máximo do conforto através da internet.

Comércio eletrônico é mais econômico

Economia

A economia gerada com a logística dos comerciantes é repassada para os clientes.

Compre online com segurança

Segurança

Plataformas de e-commerce cada vez mais seguras para as negociações.

O fato dos jovens estarem habituados com a internet ajuda bastante, pois são pessoas que acompanharam a tecnologia . Essa geração que está entrando no mercado agora já tem confiança de comprar tranquilamente e se beneficiar com milhares de ofertas, vindas diariamente em seus smartphones, tablets e computadores de mesa.


A profissionalização no comércio digital também colaborou para o avanço das lojas virtuais. Atualmente, existem vários estudos disponíveis para a especialização dos profissionais desse ramo.

Os resultados impressionam.

Em 2015 este setor movimentou cerca de US$ 1,5 trilhão, com a previsão de expandir para US$ 2 trilhões até 2018.

O Brasil  ocupa a 7ª posição no ranking do comércio eletrônico com 3,2% de participação atrás da Rússia (3,4%), Índia (3,5%), Alemanha (4,1%), Japão (5,2%), China (15,3%) e EUA (19,4%).

O comércio eletrônico é um setor muito atrativo  apesar da crise econômica, o setor apresentou uma elevação comparado com o varejo off-line,  comenta André Ricardo Dias, diretor executivo da E-bit. “O crescimento deverá continuar  neste ano, conforme nossa prévia estimativa e deve crescer 8%, motivado principalmente pelo aumento das vendas via smartphones”.

Crescimento do Comércio Eletrônico

Atualmente, a maior parte dessas transações ainda é feita de computadores. Mas a promessa é de que os smartphones colaborem ainda mais para o crescimento do comércio eletrônico. Hoje, eles são responsáveis pelo tráfego de 30%, sendo que muitas empresas possuem 55% dos visitantes e 40% das vendas pelo celular. 


Porém, o que não acompanha esse crescimento é a logística, empresas especializadas já estão apresentando problemas para honrar a entrega, não conseguindo cumprir os prazos fixados e entregando produtos avariados durante o trajeto. Tanto é que os preços dos serviços de entrega cresceram consideravelmente.

E QUANTO À LOGÍSTICA?

Essas questões levaram as principais redes varejistas virtuais a adotar novos meios de entrega.

A exemplo da gigante Amazon que vem adotando o programa Prime Air, onde as entregas são realizadas através de drones em meia hora por apenas um dólar.

A tecnologia facilita a vida de várias maneiras e inovar é sempre a melhor opção onde há tanta concorrência.

Estrutura pronta
para Vender Online

Agora, e só avisar para o maior número de pessoas que a empresa está vendendo pela internet. Para potencializar a propaganda, os meios digitais são bem eficazes, principalmente,  as redes sociais, que são ótimas opções.

Essas plataformas de relacionamento estão cada dia mais se transformando também em ferramentas poderosas de publicidade e marketing, onde se investe um valor desejado, aumentando proporcionalmente ao investimento a visibilidade da marca.

Os empreendedores que optarem pelo comércio eletrônico precisam investir em marketing tanto quanto as lojas físicas.

Apesar de todas as ferramentas tecnológicas disponíveis, a Criatividade é o que sempre fará a diferença na publicidade.

Compras com Comércio Eletrônico